Site Autárquico de São Brás de Alportel

Início |quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 | Mapa do Site | Adicionar aos favoritos |
-a +A
Mapa

Iniciativas

Portal da Criança - CPCJRecriação hirtórica - CentenárioFeira da SerraDocumentar São Brás

Recomendações sobre risco de inundações

29/09/2017

chuva

 

O Serviço Municipal de Proteção Civil de São Brás de Alportel, relembra a população que no próximo domingo dia 01 de outubro, inicia-se um novo ano hidrológico, aproximando-se também um período onde previsivelmente ocorrerá precipitação, que aumentará significativamente o risco de inundações e cheias.

 

 
As principais causas das inundações são:
 
- Os materiais acumulados nas embocaduras dos sistemas de drenagem;

- A disseminação de detritos vegetais e de inertes ao longo das valetas das vias de comunicação;

- Estas situações traduzem-se no arrastamento e concentração de resíduos sólidos em sarjetas, sumidouros e valetas e no assoreamento de linhas de água, com consequências gravosas a vários níveis;

- Excessivos caudais de escoamentos pluviais à superfície, em áreas urbanas;

- Inundações, por transbordo, em linhas de água de regime torrencial ou não dominadas por albufeiras;

- Aumento do número de acidentes de viação, devido à existência de piso escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou ao arrastamento de materiais sólidos para a via;

- Inundações dos pisos baixos dos edifícios urbanos;

- Destruição ou degradação de troços de estradas;

- Inundações das áreas marginais às linhas de água assoreadas.
 
O Serviço Municipal de Proteção Civil, alerta e recomenda as principais medidas preventivas:
 
- Limpeza das linhas de água, sumidouros e outros esgotos de águas pluviais e domésticos (principalmente junto a pontes e outros potenciais estrangulamentos ao escoamento natural);

- Verificação e manutenção corretiva dos sistemas de drenagem urbana;

- Vigilância e deteção de “pontos críticos” que, atingidos pelas inundações, possam afetar a vida da comunidade, tais como muros de suporte ou taludes que possam desmoronar, interrompendo as comunicações, edifícios em risco de ruína, pontões que possam ficar submersos ou cujos pavimentos ou encontros possam ser danificados ou destruídos;

- Reforço das medidas de prevenção e vigilância ativa nos locais mais sensíveis, em especial atenção junto a linhas de água e vias rodoviárias;

- Monitorização de potenciais instabilidades em estruturas (pontes, viadutos, taludes, estruturas de suporte, etc.) que possam vir a ser afetadas;

- Monitorização de possíveis movimentos de vertentes, em especial junto de agregados populacionais e vias rodoviárias dado o potencial aumento da sua instabilidade.

AGENDA

PUBLICAÇÔES

Newsletter