Site Autárquico São Brás de Alportel

À conversa com Nataliya Pryatka

Nesta edição damos a conhecer Nataliya Pryatka, mais um extraordinário exemplo de integração na comunidade de São Brás de Alportel.

Nataliya Pryatka nasceu na Ucrânia em 1978, local onde cresceu, onde se formou e onde trabalhou durante cerca de 15 anos como contabilista.

Viúva e com a filha a frequentar a universidade, decidiu vir morar para São Brás de Alportel, onde já vivia a sua irmã, em busca de melhores condições para sustentar a família.

Meses antes da viagem, começou a estudar português em casa, através da internet, para que a sua integração fosse mais fácil, tanto em termos sociais como profissionais.

O primeiro dia vivido em São Brás de Alportel é recordado com boa disposição. Nataliya recorda que foi por altura do Festival do Caracol, petisco que nunca provara até esse dia! “Ao início foi estranho, mas agora gosto”, comenta.

Desde que chegou a São Brás de Alportel, há três anos e meio, que trabalha na pastelaria e fábrica de Mónica Guerra. Passados seis meses, juntou-se ao grupo são-brasense de música tradicional ucraniana, “Jasmim” onde homenageia, recorda e promove as tradições do seu país em eventos locais, regionais e Nataliya conta que no último mês de setembro estiveram no programa da RTP1, Praça da Alegria.

Este ano, conseguiu que o seu namorado também viesse morar para São Brás de Alportel, casaram e estão à espera do primeiro filho em comum.

Nesta fase, diz sentir falta de ter um médico de família e explica que quando tem algum problema é complicado porque tem de se deslocar até ao Hospital de Faro uma vez que não tem carro próprio.

Com a família a crescer, o casal tem estado à procura de novo lar. Uma procura que Nataliya diz estar a ser complicada porque por um lado existe pouca oferta e as rendas estão elevadas.

A integração foi fácil tanto entre a comunidade ucraniana do concelho assim como com portugueses ou estrangeiros residentes e Nataliya confessa que tem muitos amigos por cá, até porque diz gostar da cultura local, das pessoas e da sua forma de estar.

“Aqui tenho outra vida!”, comenta Nataliya acrescentado que é uma vida mais descansada, segura, que lhe permite passear, ir à praia, viajar pelo país e desfrutar dos vários eventos realizados no concelho e destaca a realização de missas ortodoxas celebradas em ucraniano, na Igreja Matriz de São Brás de Alportel.

São Brás de Alportel, outubro de 2019

Espaço da responsabilidade do Município de São Brás de Alportel, sob coordenação do Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes, localizado no Centro de Apoio à Comunidade

Textos: Sofia Silva / Carmen Macedo

Caso gostasse eu a sua história ou a história de alguém que conhece, fosse contactada nesta coluna, contacte-nos: tel. 289 840 019 / municipe@cm-sbras.pt