Site Autárquico São Brás de Alportel

À conversa com Christine Paris

No mês mais romântico do calendário, damos a conhecer Christine Paris, mais um bom exemplo de integração na comunidade de São Brás de Alportel.

A francesa Christine nasceu em Le Havre há 67 anos e antes de chegar ao Centro Histórico da nossa vila viveu em Paris, La Rochelle.

Em França, era delegada de informação médica de um laboratório farmacêutico americano. Sempre que tinha férias, ia para fora, pois sempre adorou viajar.

Quando se reformou percebeu que não queria continuar a viver em França e, em junho de 2015, quando ouviu falar na comunicação social sobre as boas condições de acolhimento em Portugal colocou o seu apartamento à venda e começou a pesquisar o mercado imobiliário português.

Contava com 6 meses para pesquisar o mercado português, mas surpreendentemente vendeu-o numa semana!

Em julho marcou viagem para Faro e marcou visitas com duas agências imobiliárias em Boliqueime, Cabanas de Tavira e em São Brás de Alportel.

Quando chegou a São Brás de Alportel, visitou a casa onde vive atualmente. Conta que foi amor à primeira vista e que fez proposta de compra ainda nesse mesmo dia.

A integração não foi difícil e tem vindo a participar na vida da comunidade estando inscrita em atividades do Museu do Traje, no Ginásio, na Universidade Sénior e nas Piscinas Municipais. Mais recentemente começou a assistir às sessões de cinema no Cineteatro São Brás.

O idioma tem sido um desafio e Christine tem-se esforçado tendo frequentado aulas de português na Alliance Française, no Museu do Traje e na Associação Jecart.  Mais recentemente começou a ter aulas com uma amiga portuguesa. “Fizemos uma troca. Ela praticava o seu francês e eu aprendia o português”, observa.

Conta que não lhe agrada a construção de mais uma grande superfície comercial no centro da vila e gostava de ver melhorias ao nível dos animais abandonados, da falta de árvores e de espaços verdes.

Convidada a dar sugestões para melhorias no concelho, propõe a plantação de mais árvores no Largo, uma política mais energética de reabilitação de casas antigas, mais esterilização de animais de rua e mais terraços em restaurantes e cafés para assistir ao pôr-do-sol Dar um pouco mais de vida aos passeios da Avenida da Liberdade e o Largo é algo que gostaria de ver concretizado.

A viver sozinha na vila há seis anos, diz sentir-se em casa!

Diz-se satisfeita com a qualidade de vida que São Brás de Alportel lhe proporciona destacando como pontos positivos: a segurança, a proximidade de todos os serviços administrativos, a inexistência de estacionamento pago, as lojas de alimentos biológicos, as caminhadas no interior, a reabertura do Cineteatro, a renovação do largo S. Sebastião e da Avenida, o mercado de sábado, a feira das velharias, as casas antigas, as festas e a animação.

 

São Brás de Alportel, fevereiro de 2021

Espaço da responsabilidade do Município de São Brás de Alportel, sob coordenação do Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes, localizado no Centro de Apoio à Comunidade. Textos: Sofia Silva / Carmen Macedo / Suzel Gonçalves

Caso gostasse que a sua história ou a história de alguém que conhece, fosse contactada nesta coluna, contacte-nos: tel. 289 840 019 / municipe@cm-sbras.pt