Site Autárquico São Brás de Alportel

Ana Paula Pires

Ana Pires nasceu no Cerro da Mesquita em 1965, mas, de alguma forma, pode dizer que a sua vida tem tido sempre ligação com a Austrália.

Na 11ª etapa da nossa viagem, fomos até ao outro lado do mundo, até à longínqua Austrália para conhecer o percurso da são-brasense Ana Pires.

 

 

Ana Paula Pires

 

Aos cinco anos, acompanha os pais e o irmão para a Austrália onde vive até aos 14 anos.

O regresso a São Brás de Alportel não foi fácil porque não conhecia ninguém. “Comecei a escola no Externato de São Brás de Alportel e aí conheci as minhas melhores amigas que ainda hoje considero como família”. Foi nessa altura que conheceu o marido. Acabados os estudos começa a trabalhar no escritório da Pousada de São Brás, onde permaneceu durante oito anos.  Período em que nasceu a primeira filha.

Entretanto, o marido queria experimentar a vida no estrangeiro e, curiosamente, escolheu a Austrália… Juntos partiram então nesta nova aventura. E quis o destino que tal como Ana, também a filha do casal tivesse cinco anos quando chegou à Austrália!

Ana Pires com irmão e paisO marido que gosta de ciclismo, levou a sua bicicleta no avião! Com a bicicleta desmontada, sem saber falar inglês e sem conhecer nada na zona, a aceitou a sugestão da madrinha de crisma de Ana para ir a uma loja próxima que era de um português. “Hoje é um dos seus melhores amigos”, explica Ana.

Dominando bem o inglês, Ana não teve dificuldade em adaptar-se e há 27 anos que trabalha como bancária num dos maiores bancos da Austrália, o Commonwealth Bank. “A vida aqui é boa, mas como sempre digo temos de fazer por ela especialmente quando não se tem família que nos ajude por perto”, explica lembrando que passados dois anos de estarem na Austrália nasceu o segundo filho.

Vivem em Kareela, Sydney e Ana conta que nos tempos livres gosta de dar caminhadas na praia, de reunir a família e os amigos e especialmente de passar tempo com os netos.

Em 2019 foi a última ocasião em que regressou a São Brás de Alportel no verão. “Foi um ano que não esqueço. Os dias não davam para tudo. Almoços, jantares, convívios com família e amigos matando saudades”, recorda acrescentando que teve a oportunidade de participar num almoço de colegas e professores do externato de São Brás de Alportel dos anos 89/90 e que também na Feira da Serra encontrou amigos que não via há mais de 30 anos!

Essa vida numa comunidade onde todos se conhecem e convivem é algo que valoriza e que diz não ser fácil de conseguir na Austrália porque o país é muito grande e as pessoas estão espalhadas por diferentes concelhos e existem pessoas de muitos países.

As redes sociais e as novas tecnologias facilitam o contacto com a família, com os amigos e aproximam-na da terra natal. As saudades são mais que muitas, especialmente da mãe e do irmão.

Aproveita também para matar saudades dos sabores portugueses nos cafés e restaurantes portugueses que tem perto de casa, na Austrália. Ali aproveita para comer um pastel de nata ou uma boa comida à portuguesa!

Passados quase 41 anos a viver fora de São Brás de Alportel diz que leva sempre a sua terra no coração. Com os filhos e os netos plenamente integrados na Austrália, confessa que um regressa definitivo a Portugal é pouco provável. “Mas se acontecer, sempre será para São Brás de Alportel”, sublinha.

 

 

 


Viaje pelo mundo à descoberta dos são-brasenses, em www.cm-sbras.pt

Texto: Sofia Silva – Gabinete de Comunicação / Coordenação: Marlene Guerreiro

Caso deseje participar nesta iniciativa, contacte-nos: 289 840 019 / municipe@cm-sbras.pt