Site Autárquico São Brás de Alportel

Horta Comunitária do Nascimento

Multimédia0

Num terreno anexo ao Centro de Apoio à Comunidade, nasceu a 1.ª Horta Comunitária do município, a Horta do Nascimento.

Cientes da necessidade de trilhar novos modelos de desenvolvimento, mais humanos e sustentáveis, assim como dos inúmeros contributos económicos, sociais e ambientais da agricultura nas áreas urbanas, a Câmara Municipal de São Brás de Alportel e a Associação In Loco decidiram construir e dinamizar a primeira horta comunitária do concelho. Um projeto que tem por objetivo valorizar a agricultura biológica, livre de organismos geneticamente modificados; fomentar práticas de consumo mais sustentáveis; promover a autonomia alimentar das famílias; potenciar um espaço de convivência familiar e comunitária e desenvolver uma consciência ambiental mais apurada.

Esta horta comunitária é constituída por: 20 talhões demarcados, pontos de água, nora e tanque, forno a lenha, WC ecológico, área de compostagem, abrigo para equipamentos e utensílios e uma zona de circulação e lazer.

Localização: Rua Serpa Pinto, nº29 (nas traseiras do Centro de Apoio à Comunidade)

  • I Espaços

    Multimédia0

     

    A Horta do Nascimento está dotada de várias zonas e equipamentos, entre os quais:

    • Terreno da Horta, dividido em 20 talhões, de aproximadamente 37m² cada;
    • Zona de compostagem;
    • Pontos de acesso à água, para rega das culturas agrícolas;
    • Tanque comunitário;
    • Forno a lenha Comunitário;
    • Nora;
    • WC ecológico;
    • Casa abrigo para guardar as alfaias agrícolas e outros equipamentos de apoio aos hortelãos;
    • Zona de circulação, descanso e convívio.
  • II Organização

    Gestão da Horta

    A gestão da Horta está a cargo de uma equipa constituída por elementos da Câmara Municipal de São Brás de Alportel e da Associação In Loco, a quem caberá assegurar a: 

    • Gestão global da Horta;
    • Administração das candidaturas;
    • Formação dos hortelãos e hortelãs em agricultura biológica;
    • Deteção de outras necessidades de formação;
    • Animação da Horta;
    • Colaboração na dinamização de atividades complementares e de animação comunitária.

     

    Assembleia de Hortelãos e Hortelãs

    De forma a garantir princípios de bom funcionamento e de cooperação entre os utilizadores e as utilizadoras, as pessoas serão convidadas pela equipa de Gestão da Horta a formar uma “Assembleia de Hortelãos e Hortelãs”, constituída por um ou uma representante de cada talhão.

    Esta Assembleia será formada após a seleção dos candidatos e candidatas, mas antes da utilização dos talhões.

    A Assembleia de Hortelãos e Hortelãs deverá reunir pelo menos uma vez de seis em seis meses, para tratar de assuntos coletivos, que digam respeito ao funcionamento da Horta, bem como para eleger um(a) Administrador(a). O(a) administrador(a) selecionado(a) terá o apoio da equipa de Gestão da Horta para a realização das convocatórias.

     

    Atribuição de talhões

    Os interessados em participar num próximo projeto desta índole poderão sempre efetuar uma pré-inscrição no Centro de Apoio à Comunidade, situado na Rua Serpa Pinto, nº 29 ou através de e-mail: solidariedade@cm-sbras.pt

    Critérios de Atribuição de Talhões:

    • Residência no município
    • Situação socioeconómica
    • Ordem de chegada da inscrição

     

    Acordo de Utilização dos Talhões

    Após a seleção de candidatos, decorrerá um período de assinatura de acordos com os gestores do espaço, Câmara Municipal de São Brás de Alportel e Associação IN LOCO.

    • Os acordos celebrados ao abrigo das normas de utilização serão válidos por um período de um ano a contar da data de assinatura e são passíveis de renovação por iguais períodos, a pedido do utilizador ou utilizadora.
    • O gestor do espaço pode, em qualquer altura, determinar a perda de direito à utilização do lote, caso se verifique que não estão a ser cumpridos os deveres previstos;
    • O utilizador ou a utilizadora pode rescindir o acordo e deixar de utilizar o espaço cedido, devendo informar a equipa responsável pela Gestão da Horta com a antecedência de 30 dias úteis, não podendo reclamar qualquer indemnização por eventuais benfeitorias realizadas no local.
  • III Normas

    Normas de Utilização:

    1. Podem ser praticadas culturas hortícolas, flores de corte, plantas aromáticas, medicinais e condimentares;
    2. Não poderão ser instaladas árvores ou arbustos de grande porte;
    3. Os produtos cultivados pelos utilizadores deverão ser preferencialmente para consumo próprio;
    4. Não são permitidos animais domésticos no local;
    5. Não são admitidas estufas;
    6. Não podem ser edificadas quaisquer estruturas nem instalados pavimentos impermeáveis, nomeadamente com recurso ao cimento;
    7. Não são admitidas alterações às características básicas das infra-estruturas instaladas;
    8. A equipa de Gestão da Horta não se responsabiliza pelos prejuízos causados por eventuais furtos, roubos ou atos de vandalismo praticados por terceiros, que deverão ser participados às forças de segurança pública.

    Download das Normas

     

    I. Direitos do/as Utilizadores/as

    Os utilizadores e utilizadoras têm direito a:

    • Um talhão de aproximadamente 37m2 de terreno cultivável;
    • Colher os produtos cultivados para consumo doméstico;
    • Regar as suas culturas, utilizando os pontos de água comunitários;
    • Utilizar a casa abrigo para guardar os instrumentos e pequenas alfaias agrícolas;
    • Utilizar os restantes equipamentos coletivos disponíveis no local;
    • Frequentar uma ação de formação inicial em Agricultura Biológica;
    • Ter uma chave do portão de acesso à Horta e uma chave da casa abrigo.

     

    II. Deveres dos(as) Utilizadores(as)

    Os utilizadores e utilizadoras devem:

    • Utilizar a água de forma racional, recorrendo aos pontos de rega e a um regador;
    • Dar início às práticas agrícolas até um mês após a entrega do talhão e respetiva assinatura do Acordo de Utilização, mantendo as hortas em produção;
    • Utilizar apenas meios de cultivo biológico e promover a diversidade de culturas;
    • Certificar-se de que as suas culturas não invadem os caminhos ou os talhões vizinhos;
    • Colocar os instrumentos no respetivo abrigo e fechá-lo sempre;
    • Assegurar o bom uso e conservação dos equipamentos coletivos de apoio (de armazenamento, rega, compostagem, WC ou outros);
    • Zelar pelo asseio, segurança e bom uso do espaço;
    • Avisar os responsáveis de qualquer irregularidade que contrarie os direitos e deveres dos utilizadores e utilizadoras;
    • Frequentar, com aproveitamento, uma ação de formação de base em agricultura biológica facultada pela equipa de Gestão da Horta;
    • Divulgar e disseminar as práticas da compostagem caseira, agricultura biológica e de consumo sustentável;
    • Pagar uma quota mensal, de valor simbólico, para apoiar o pagamento da água utilizada na rega.
  • IV Galeria de Fotos

    Multimédia0

    Multimédia1

    Multimédia2

  • V Contactos

    Câmara Municipal de São Brás de Alportel

    Centro de Apoio à Comunidade de São Brás de Alportel

    Rua Serpa Pinto, nº 29,

    Tel. 289 840 020 / Fax. 289 840 029

    E-mail. cac@cm-sbras.pt

     

    Associação IN LOCO

    Campus da Boa Esperança, Avenida da Liberdade, nº 101

    Tel. 289 840 860 / Fax. 289 840 879/78

    E-mail. geral@in-loco.pt