Site Autárquico São Brás de Alportel

Os Animais

  • Cabra Algarvia

    Nome científico: Capra hircus

    A cabra foi dos primeiros animais a serem domesticados, por volta do ano 7000 a.C., no Médio Oriente. A sua criação é feita para o aproveitamento do leite, mas também da sua carne e pele, com diversas utilizações na produção de calçado, vestuário e no fabrico de artigos de decoração. É um animal com grande robustez, no estado selvagem consegue sobreviver a condições climatéricas extremas. O período de vida de um caprino pode chegar aos 20 anos. O bode quando se sente intimidado pode investir contra outro animal ou mesmo contra uma pessoa.

    Alimentação: Este mamífero é herbívoro com preferência por pasto, arbustos, flores, folhas de árvores e palha.

    Reprodução: O período de gestação é de 5 meses e a cria chama-se cabrito.

  • Fraca ou Galinha Pataca

    Nome científico: Numida meleagris

    Esta espécie tem o seu habitat natural na África Subsariana, onde vive na orla de florestas, em savanas e campos de cultivo, desde que exista acesso a água. Em África também já existem populações que vivem em regime domesticado. A diferença entre o macho e a fêmea é que o primeiro apresenta uma crista pronunciada para a frente, como se fosse um chifre, e a fêmea apresenta uma crista mais arredondada.

    Relativamente ao estatuto de conservação da espécie, e segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, este é “pouco preocupante”.

    Alimentação: São omnívoras: a sua alimentação baseia-se em produtos vegetais – ervas, bolbos, flores, frutos e sementes – mas também inclui pequenos invertebrados, tais como gafanhotos e vermes.

    Reprodução: Cada postura varia entre 6 e 12 ovos, o período de incubação varia entre os 24 e os 28 dias.

  • Codorniz

    Nome comum: Codorniz

    Nome científico: Coturnix coturnix

    É o menor galináceo europeu, o único com hábitos migratórios. Tanto o macho quanto a fêmea geralmente são pardos, com o dorso e flancos listados. O macho apresenta a garganta com riscas pretas e a fêmea tem-na amarela, sem riscas, e apresenta o peito muito manchado.

    Existe em praticamente todo o país, mas é mais fácil de encontrar no Alentejo. No Algarve ocorre em zonas húmidas – como o Ludo – mas também em zonas mais secas como a Serra do Caldeirão.

    Em Portugal o seu estatuto de conservação é pouco preocupante daí ser uma espécie cinegética.

    Alimentação: Sementes, invertebrados e plantas verdes. A sua proporção no regime alimentar varia com o estado de desenvolvimento e ciclo anual desta espécie. Os jovens recém-nascidos são predominantemente insetívoros. Depois de 4 semanas de vida, a dieta é idêntica à dos adultos.

    Reprodução: Em média a codorniz põe 10 ovos, com uma taxa de eclosão de cerca de 97%. Fazem normalmente 2 posturas por ano, sendo o pico de reprodução entre junho e agosto.

  • Burro
    Burro

    Nome Comum: Burro
    Nome Científico: Equus asinus

    Os burros podem viver entre 30 a 40 anos e geram uma apenas uma cria por gravidez, sendo o período de gestação de 12 meses. Estes herbívoros alimentam-se à base de palha, alfarrobas, favas secas, aveia e cevada. O burro costumava ter as tarefas mais duras no trabalho do campo, sendo usado para lavrar os terrenos, puxar a água nas noras, e claro, para a locomoção das carroças. As máquinas agrícolas vieram substituir gradualmente as funções deste animal, uma vez que são muito mais rápidas e eficientes na execução do trabalho (e não fazem tantas birras!) e esta situação tem levado à diminuição do número de exemplares desta espécie, chegando mesmo em alguns casos à beira da extinção. Contudo, esta tendência tem vindo a sofrer algumas alterações com o aparecimento relativamente recente de uma nova “carreira” para este simpático mamífero: a de atracção turística! Na Quinta do Peral, o nosso Zacarias é mesmo a maior atracção e o morador preferido dos visitantes!

  • Cão
    Cão

    Nome Comum: Cão
    Nome Científico: Canis lupus familiaris

    O cão é actualmente considerado uma sub-espécie do lobo (de nome científico Canis lupus). Algumas teorias defendem que o cão surgiu da domesticação do lobo cinzento asiático e dados arqueológicos mostram que a sua domesticação terá sido iniciada há cerca de 14.000 anos! Trata-se,  provavelmente, do mais antigo animal doméstico! Através da domesticação, ao longo dos séculos, o Homem realizou uma selecção artificial em função das aptidões, características físicas ou tipos de comportamentos; e o resultado são as mais de 400 raças que actualmente existem. O cão é um animal social que, na maioria das vezes, aceita o seu dono como “o chefe da matilha”. Homem e cão protagonizam a mais forte e duradoura relação de amizade que existe entre dois animais de espécies diferentes!
    Entre as características mais apreciadas do cão, contam-se o seu excelente olfacto – tem 30 vezes mais tecidos sensoriais olfactivos do que o Homem -, audição – os cães ouvem sons 4 vezes mais distantes do que o Homem, além de ouvirem ultrasons, inaudíveis aos seres humanos – e visão – têm uma visão nocturna muito melhor do que a do Homem e um ângulo de visão mais amplo.


    Sabia que?
    Os cães não distinguem a cor verde.


    Quem sabe?
    Qual a altura que pode atingir o cão mais alto que existe? (descubra a resposta na Quinta do Peral)

  • Coelho
    Coelho

    Nome Comum: Coelho
    Nome Científico: Oryctolagus Cuniculus

    O coelho é uma espécie característica dos ecossistemas mediterrânicos que apresenta, no entanto, uma larga distribuição geográfica, que inclui as regiões de França, Grã-Bretanha, Austrália, Nova Zelândia, América do Sul, Norte de África e várias ilhas atlênticas e mediterrânicas.

    As raças de coelho doméstico são inúmeras. Este é um animal da quinta, pois a sua carne e a sua pele são apreciadas. Quanto ao coelho bravo, trata-se da presa principal de espécies em perigo de extinção, como o Lince-ibérico e a Águia Imperial.

    Os coelhos têm uma grande capacidade de reprodução, sendo capazes de se reproduzir no ano do seu nascimento! O período de gestação é de apenas 28 a 30 dias. Cada fêmea tem em média 2 a 4 ninhadas por ano (em função da duração da época de reprodução), com 2 a 7 crias - láparos.

    Sabia que...?

    A digestão do coelho é caracterizada pelo fenómeno de cecotrofia, que consiste numa 2ª passagem dos alimentos através do tubo digestivo quando o animal está em repouso. Este processo aumenta o tempo de permanência dos alimentos no organismo, sendo uma adaptação importante para o coelho selvagem que, devido a más condições climatéricas ou ao risco de predação, necessita, por vezes, de se esconder durante largos períodos.

    Quem sabe?

    Porque é que as orelhas dos coelhos têm grandes pavilhões auriculares? (procure a resposta na Quinta do Peral)

  • Faisão Prateado
    Faisão Prateado

    Nome Comum: Faisão Prateado
    Nome Científico: Lophura nycthemera

    As aves desta espécie encontram-se distribuídas pelo Sudeste da China, Vietname, Laos, Camboja e Tailândia, estando identificadas actualmente 15 subespécies.
    Os faisões prateados vivem em florestas mas também se encontram em campos abertos, são omnívoros, alimentando-se de vegetais e invertebrados, que procuram raspando e escavando o solo com as patas e o bico e passam a maior parte do tempo em terra procurando os ramos das árvores somente para dormir ou obter abrigo.
    Os faisões-prateados põem os ovos no solo principalmente no período de Março a Maio. Cada postura é composta por 6 a 9 ovos que são incubados durante 25 a 26 dias apenas pela fêmea. As crias abandonam o ninho imediatamente após a eclosão e de seguida começam a alimentar-se sozinhas, contudo seguem a mãe até serem independentes.
    Esta espécie não se encontra ameaçada porém, em alguns locais, existem pressões provocadas pela destruição do habitat e pela sobre-exploração para alimentação humana.


    Sabia que...
    … na parada nupcial, o macho faz vibrar as asas, ergue a cauda, exibe a máscara facial e levanta o penacho!
    … o nome científico nycthemera  tem origem grega e significa “noite e dia” fazendo referência à coloração branca e preta do macho!

  • Faisão-Vulgar
    Faisão-Vulgar

    Nome comum: Faisão-Vulgar
    Nome científico: Phasianus colchicus

    Esta ave originária do continente asiático foi trazida para a Europa por mercadores. A sua beleza e saborosa carne explicam o interesse que sempre tem despertado. Durante muitos anos, foi libertada na Natureza para depois ser caçada pela realeza. Actualmente, o faisão, espécie muito desconfiada em relação aos humanos, é também um animal de quinta. Quando em estado selvagem, encontra-se na Ásia e nos bosques europeus. Frequenta campos cultivados, pequenos bosques e matas perto dos rios e lagos.

    Os faisões alimentam-se de pequenos insectos, minhocas, frutos e sementes de vários cereais. Os machos, maiores e magnificamente coloridos, durante a corte pré-nupcial emitem altos grasnidos e batem as asas silenciosamente. A cópula ocorre geralmente às primeiras horas da manhã. A fêmea faz o seu ninho no chão, entre folhas. Os seus ninhos podem ser avistados a partir de Maio e têm 8 a 12 ovos. Os filhotes eclodem dos ovos após 22 a 27 dias de incubação.


    Sabia que?
    ...as aves não têm bexiga? Elas transformam a urina numa
    massa branca, cristalizada, que se vai juntar aos excrementos.

  • Galinha
    Galinha

    Nome Comum: Galinha
    Nome Científico: Gallus gallus domesticus

    A galinha é uma ave doméstica, espalhada por todo o mundo cujos antepassados selvagens (possivelmente naturais da Ásia) também eram de hábitos terrestres. Actualmente, existe um grande número de raças, próprias de cada local, obtidas por selecção para se especializarem na produção de carne ou de ovos.
    As galinhas podem viver cerca de 15 anos e formam naturalmente um grupo de fêmeas conduzidas por um galo dominante.
    No que respeita à sua alimentação, de manhã comem, normalmente, milho e farinhas; depois passam o resto do dia a esgravatar e a comer tudo o que apanham na terra, desde minhocas a sementes, mas também pequenos frutos e migalhas.
    As galinhas entram em fase de choco ciclicamente, chocam tantos ovos quantos couberem debaixo do seu corpo, e podem não ser apenas seus. O tempo de incubação é de 21 dias, ao fim dos quais começam a nascer os pequenos pintos, que vão partindo a casca com o bico. Poucas horas após o seu nascimento, já andam atrás da mãe a debicar e a comer tudo o que encontram no chão.

    Sabia que...
    ...num galinheiro há uma ordem bem definida que determina, entre outras coisas, quem come primeiro? Essa ordem é literalmente mantida à bicada! O grupo está hierarquizado - o galo está no topo - sendo permitido apenas às aves de hierarquia superior bicar as de hierarquia inferior.

  • Ganso
    Ganso

    Nome Comum: Ganso
    Nome Científico: Anser anser

    No estado selvagem, os gansos são aves gregárias que formam bandos numerosos em locais de água pouco profunda e muita vegetação. Migram no Inverno até regiões mais quentes e voltam na Primavera para procriar. Na Quinta, os membros do casal de gansos não se largam! Muito corpulentos, estes animais, quando criados em cativeiro, não conseguem voar, apenas usam as asas para ganhar velocidade, quando o perigo o justifica. Os seus ovos, de grandes dimensões, são muito apreciados em receitas culinárias, mas a criação de gansos destina-se sobretudo ao aproveitamento da sua saborosa e característica carne – com a qual os franceses fazem o famoso “fois gras”.
    Os gansos podem viver até 20 anos e pesar até 20kg! A mãe ganso choca cerca de 6 ovos, durante 30 dias, arrancando as penas do seu peito para fazer uma grande bolsa incubadora e forrar os seus ninhos.


    Sabia que...?
    ...os gansos são uma das poucas espécies de aves, em que o casal se mantém para toda a vida? Se num casal de gansos morre, por exemplo a fêmea, o macho, em geral, não volta a arranjar uma segunda companheira.

    Quem sabe?
    O que comem os gansos? (procure a resposta na Quinta do Peral...)

  • Gato Doméstico
    Gato Doméstico

    Nome Comum: Gato Doméstico
    Nome Científico: Felis Silvestris Catus

    Oriundo de África, este animal da família dos felídeos começou a ser domesticado pelo homem há mais de 9500 anos, no Oriente Médio. Os povos nómadas da época sentiram necessidade de eliminar os roedores que invadiam os locais de armazenamento de alimentos, o que levou ao cruzamento de gatos selvagens com o objectivo de se alcançar animais mais pequenos e menos agressivos, dando origem aos gatos domésticos. Os gatos em cativeiro vivem entre 15 e 20
    anos. As fêmeas atingem a maturidade sexual entre os 4 e os 10 meses e os machos entre os 5 e os 7 meses de idade. Ao longo do ano, as gatas apresentam vários ciclos reprodutores que podem durar de 4 a 7 dias. Cada óvulo pode ser fecundado por um macho diferente podendo assim, em cada ninhada, existir filhotes de pais diferentes. A gestação dura cerca de 65 dias e pode gerar de um a oito crias, que devem permanecer com a mãe pelo menos durante 60 dias
    para receber uma alimentação adequada. Este animal move cada orelha independentemente da outra, consequência de possuir nelas 32 músculos. Por esta razão o gato pode mover o corpo numa direcção enquanto move as orelhas para outro lado.


    Sabia que? ...
    Os exemplares tricolores, ou até de quatro cores, são normalmente fêmeas, quando são machos, são estéreis? E
    que se estima que existam mais de 250 raças de gatos domésticos?

  • Ovelha
    Ovelha

    Nome Comum: Ovelha
    Nome Científico: Ovis áries

     

    Pensa-se que as ovelhas foram dos primeiros animais a ser domesticados. A domesticação e o aparecimento dos primeiros rebanhos terão ocorrido por volta do ano 9000 a.C, no Médio Oriente, berço das primeiras civilizações, estendendo-se depois por toda a Europa e Ásia.
    Os ovinos são animais de grande valor económico pois são fonte de carne, lacticínios e lã. No caso concreto da raça da fotografia, a ovelha churra algarvia, o pêlo não é muito adequado para a produção de lã. Esta raça de ovelha está implantada no Algarve há mais de um século podendo mesmo considerar-se autóctone.
    A ovelha é normalmente criada em rebanhos que podem chegar a ter 50 ovelhas e um só carneiro.
    O carneiro não é tão simpático quanto a ovelha, podendo mesmo investir os seus fortes cornos nas nádegas de quem se aproxime demais dele ou das suas ovelhas!

    Quem sabe?
    Em que altura do ano se tosquiam as ovelhas?

    Alimentação: Os ovinos são herbívoros que se alimentam à base de pastagens naturais, forragens, folhas de freixo, amendoeira, oliveira e videira e de arbustos picos da região.

    Reprodução: A ovelha tem um período de gestação de 5 meses, a cria chama-se cordeiro.

  • Pato-Doméstico
    Pato-Doméstico

    Nome Comum: Pato-Doméstico
    Nome Científico: Anãs sp.

    O tradicional pato branco de quinta tem origem na China continental, sendo conhecido como Pato de Pequim. Os patos vivem em regime de semi-liberdade, se vivem próximo de um lago ou de um rio, os patos vão até lá, onde passam o dia alternando banhos com períodos de descanso ao sol. Uma pata põe cerca de 100 ovos por ano. Um pato pode viver cerca de 15 anos e pesar mais de 6 kg.
    Comem tudo o que encontram desde caracóis, rações e ervas. Ingerem plantas aquáticas por isso submergem a cabeça na água ficando com a cauda para cima.
    As patas chocam entre 6 e 10 ovos que vão eclodir 30 dias depois do início do choco. São mães excelentes, passando o tempo a contar e juntar os filhos.

    Sabia que? ...
    ...tal como outras aves os patos possuem a glândula uropígia com cuja secreção – uma espécie de óleo – procedem à sua limpeza? Esta substância é resistente à água, tendo uma acção semelhante à do talco nas luvas de borracha.

  • Pato-Mudo
    Pato-Mudo

    Nome Comum: Pato-Mudo
    Nome Científico: Cairina moschata

    O pato-mudo, originário da América do Sul, foi introduzido e domesticado na Europa. Em estado selvagem, é uma ave bastante rara mas não é uma espécie ameaçada pois os domesticados estão muito difundidos. Apresenta dimorfismo sexual: o macho é maior do que a fêmea e apresenta mais carúnculas (verrugas vermelhas existentes na cabeça e ao redor dos olhos) do que esta. A designação pato-mudo deve-se ao facto do macho emitir um som semelhante a um sopro, enquanto a fêmea emite um som parecido com [fi’fi]. O tempo de incubação de um ovo de é de 5 semanas. Os filhotes são cuidados apenas pela mãe, que os acompanha até que possam voar. No seu habitat alimentam-se de folhas, sementes, pequenos vermes e insectos e são presas de raposas, aves de rapina e felinos.
    Os patos são dos poucos animais conhecidos que andam, nadam e voam com razoável sucesso, são também animais com senso de direcção e modo de vida comunitário.


    Sabia que? ...
    O pato mudo é o único animal que consegue dormir com metade do cérebro e manter a outra em alerta?

  • Pato-Real
    Pato-Real

    Nome comum: Pato-Real
    Nome científico: Anãs platyrhynchos

    Esta é a espécie de patos mais comum na Europa. O pato-real é uma espécie residente em Portugal cujo habitat são zonas húmidas tais como lagoas, albufeiras, rios e ribeiras. O seu Estatuto de Conservação é “Pouco preocupante” pelo que é uma espécie cinegética. O voo desta ave é relativamente rápido sendo muito característico desta espécie o assobio das asas durante o mesmo.

    O Pato-real é omnívoro alimentando-se de sementes, rebentos, insectos e pequenos peixes. A sua reprodução ocorre na Primavera, altura em que nidifica nas margens das linhas de água, entre a vegetação rasteira. O seu ninho é uma pequena cavidade no solo revestida de pastos e penas. A ninhada é composta por 10 a 12 ovos cuja incubação dura cerca de 30 dias. O pato-real apresenta dimorfismo sexual.

    Sabia que...

    ...durante o período de acasalamento o pato reveste-se de uma plumagem “nupcial” para impressionar a fêmea? Por exemplo as cegonhas dão estalos, os galos-silvestres rebolam-se e os pavões abrem os leques. Tudo para agradarem às fêmeas!

  • Peru
    Peru

    Nome Comum: Peru
    Nome Científico: Meleagris gallopavo

    O peru é uma ave galinácea, originária da América, que foi trazida para a Europa em 1511, tendo sido domesticado pela primeira vez no México há já mais de mil anos.
    Esta ave alimenta-se de grãos e insectos, nomalmente caminha, mas também pode voar. Tanto o macho como a fêmea, têm a cabeça e o pescoço descobertos de penas e os machos, que medem cerca de 1,17m de altura, possuem ainda umas excrescências carnosas avermelhadas na cabeça e na base do bico -  as carúnculas.

    Em estado selvagem, os perus vivem em grupos de cerca de 20 aves, em lugares próximos das árvores e pesam de 8 a 10kg, mas quando domesticados podem chegar a pesar mais de 15kg!
    Para cortejar uma fêmea, o macho atrai-a com um som característico e abre as suas penas da cauda em leque. A fêmea põe de 8 a 15 ovos num ninho feito com a vegetação, incubando de 25 a 30 dias. Os filhotes alimentam-se por sua própria conta mas sempre com a protecção da mãe.

    Actualmente, a criação de peru doméstico é uma indústria em grande escala tanto na América quanto na Europa. Em Portugal, a carne de peru é muito apreciada, fazendo parte da nossa alimentação quotidiana. Trata-se de uma carne branca muitas vezes recomendada em algumas dietas, além de fazer parte das ementas natalícias.

  • Pombo-comum, pombo-doméstico ou pombo-das-rochas
    Pombo-comum, pombo-doméstico ou pombo-das-rochas

    Nome Comum: Pombo-comum, pombo-doméstico ou pombo-das-rochas
    Nome Científico: Columba livia

    Esta ave, pertencente à família Columbidae, é originária da Euroásia e África. Existem imagens que sugerem que já era criada pelos asiáticos em 4500 a.C.
    Os pombos alimentam-se de sementes, frutos e grãos. Vivem em média 15 anos e podem atingir velocidades até 80km/h e voar até 315 km sem se cansarem. Tal como os restantes membros da família a que pertencem, e que conta cerca de 300 espécies, possuem o melhor sentido de orientação de todas as aves, podendo localizar os seus ninhos a mais de 1000 km de distância.
    Os pombos acasalam de 3 em 3 meses e os ovos são incubados durante cerca de 2 semanas pelo macho e pela fêmea. As crias nascem cegas e são alimentadas, nos primeiros tempos de vida, com “leite de papo”, uma massa rica em proteínas e gorduras que se desenvolve em ambos os sexos durante a procriação. Com cerca de um mês de vida começam a voar e abandonam o ninho.
    O pombo-correio é uma variedade domesticada do pombo-comum. A facilidade desta ave em regressar ao seu ninho, mesmo após percorrer longas distâncias, levou o homem a usá-la para transporte de mensagens recebendo a designação de pombo-correio. As mensagens, escritas em papel claro fino, eram colocadas num tubo que, por sua vez, era amarrado à pata da ave.

    Sabia que? ...
    …os pombos e as pombas são considerados como símbolos de paz e harmonia supostamente devido ao Antigo Testamento? Segundo este livro, após o dilúvio, e na sequência de Noé ter soltado uma pomba, esta regressou com um ramo de oliveira no bico, o que mostrava que as águas estavam a recuar e que tinham sido feitas as pazes com Deus.

  • Porquinho-da-Índia
    Porquinho-da-Índia

    Nome científico: Cavia aperea f. porcellus
    Nome comum: Porquinho-da-Índia

    São animais dotados de visão a cores, na escuridão orientam-se com os bigodes. Os seus predadores são aves de rapina, pelo que estão sempre muito atentos ao que se passa acima das suas cabeças. Podem viver cerca entre 4 (em estado selvagem) e 8 anos (em cativeiro).

    Foram trazidos do continente americano, pelos conquistadores espanhóis, no início do século XVI. O seu nome deve-se ao facto de emitirem um som parecido com o do porco e por serem originários de um local geográfico que os descobridores pensaram ser a Índia. O seu estatuto de conservação é “pouco preocupante”.

    Reprodução: O período de gestação é de cerca de 60 dias.

  • Rola-Turca
    Rola-Turca

    Nome Comum: Rola-Turca ou Rola-de-Colar
    Nome Científico: Streptopelia decaocto

    Esta espécie habita numa larga área do mundo, desde a Europa até à Índia, passando pela Turquia. Encontramo-la geralmente em parques e jardins arborizados, cemitérios e, em grandes bandos, sobre os campos.
    As rolas turcas comem sementes de cereais - trigo, centeio, aveia -, e também engolem cascas de caracóis e até pedrinhas, que usam para desfazer as sementes na moela.
    A época de incubação situa-se entre Março e Outubro. A postura é de apenas 2 ovos e a duração do choco é de 14 a 16 dias. Os filhotes permanecem no ninho cerca de 18 dias. É o macho que traz os ramos com os quais a fêmea constrói um ninho pouco profundo numa árvore.

    Em cativeiro, as aves pequenas podem atingir quinze anos de vida. Já as aves selvagens vivem poucos anos devido ao  grande desgaste que sofrem. O corpo de uma ave é comparável a um motor de grande potência pelo que, tal como os carros de corrida, sofrem um grande desgaste, o qual se repercute na duração da sua vida.


    Sabia que?
    As crias são alimentadas durante 10 dias com leite segregado pelas moelas do pai e da mãe! Para o ingerirem, as pequenas aves introduzem os bicos lá bem no fundo da goela dos pais!