Site Autárquico São Brás de Alportel

Centro Museológico do Alportel

O projecto de criação do Centro Museológico do Alportel integrou o Plano de Intervenção do Vale do Alportel.

Co-financiado pelo Programa Comunitário AGRIS, este plano visa a valorização de uma área de 53,5km2, que inclui os sítios de Alportel, Juncais, Cova da Muda, Tareja, Bico Alto, Arimbo, Almargens, Alcaria, Tesoureiro, Farrobo, Cerro do Alportel, Malhão, São Romão e Soalheira, caracterizada por um valioso património rural e excelentes potencialidades naturais e paisagísticas, para o desenvolvimento turístico.

Localizado em pleno Vale do Alportel, na bonita localidade, com o mesmo nome, o Centro Museológico do Alportel pretende ser um contributo para o fomento da actividade cultural do município e para a valorização do património, constituindo um novo pólo de interesse turístico, no âmbito de uma estratégia de desenvolvimento do turismo de qualidade, que tem por base a valorização do Património e da Natureza.

Cultivar a memória das gentes do Alportel e da Serra, preservar o passado de uma Terra de Cortiça e Tradição, e dar a conhecer os Valores Naturais do Vale do Alportel, entre o barrocal e a serra, são alguns objectivos do Centro Museológico do Alportel.Um espaço do Município de São Brás de Alportel, dinamizado, em parceria, com a Sociedade Recreativa Alportelense e a colaboração do Museu do Trajo.

A Igreja, ponto de encontro do povo; a Cortiça, que enforma o passado desta terra; a Estrada, porta sempre aberta, para as Terras de Alportel, são alguns do elementos temáticos do Centro Museológico.

  • A Igreja
  • A Igreja

    A construção da capela de S. José, no sítio do Alportel, iniciou-se nos finais do século XIX e, por razões pastorais, nunca foi aberta ao público. Serviu para várias finalidades, algumas pouco dignas, até que em 1919, foi reconstruída para o culto religioso. Foi benzida no ...

    Saber mais

  • A Estrada
  • A Estrada

    A estrada é quase tudo. É a ligação entre duas paisagens distintas: a norte, a serra, o xisto, os declives abruptos, os vales inacessíveis, o silêncio, o sobreiro e a azinheira, as rezas cantadas, os bailes ao som da flauta, o linho e o soriano, os homens e as mulheres de quem se dizia serem esquivos e ...

    Saber mais

  • A Cortiça
  • A Cortiça

    Dizem os mais velhos que, com facilidade, se contam em mais de cem, as fábricas de cortiça existentes no Alportel e imediações, ao longo do século XX. “Fabricos e fabriquetas” arranjados entre pais e filhos, amigos e parentes, de laboração intermitente que raramente contavam mais do ...

    Saber mais